Castas de Uvas de Mesa

A Vivai Cooperativi Rauscedo - VCR produzem mais de 4000 combinações distintas entre castas, clones e porta enxertos.
A Improfort Portugal e a VCR- Rauscedo, comercializam e prestam todo o apoio técnico, às plantações com videiras italianas - VCR, com castas nacionais e internacionais e com diferentes clones e porta enxertos, mais adaptados à nossa realidade nacional .
As novas videiras resistentes ao míldio e ao oídio, são a última aposta da VCR, em tornar a vinha mais rentável e amiga do ambiente e um bom augúrio do futuro da vinha em Portugal.
A+ R A-

ALEDO

Cultivada principalmente na província de Alicante e, de modo original, na DOP Vinalopò. Apresenta

época de maturação tardia, cacho grande, compacto, bago grande, uniforme de forma elíptica

longa e cor verde-amarelada uniforme, pruína média, película média, umbigo visível, sementes

presentes e longas. Adapta-se bem ao cultivo em espaldeira. O cacho não tolera bem a radiação

solar directa, que pode causar a sub-maturação dalgum lado, enquanto os bagos permaneçam

ásperos. Por esta e outras razões, há zonas onde é objeto de ensacagem, realizada no próprio

campo a finais de Julho.

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

ALFONSO LAVALLÉE

Foi obtido no século passado em França por uma trabalhadora de viveiro pelo cruzamento entre

o Bellino x Lady Downes Seedling. Também conhecido com o nome de Ribier, especialmente

na Califórnia.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido, um pouco tomentoso, verde-esbranquiçado

com margens avermelhadas, folhas apicais um pouco dobradas, de cor verde clara

com um ligeiro tomento. Folha média-grande, pentagonal, tripentalobulada, margem de cor

verde opaca, ligeiramente bolhosa, espessa. Seio peciolar com base em U-V pouco aberto ou

fechado. Cacho médio-grande, cilíndrico-cónico, asado e solto. Bago médio-grande, bastante

esférico de cor azul escura uniforme; película com muita pruína e bastante consistente; polpa

ligeiramente crocante e sucosa de sabor simples, doce e agradável.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média.

Época de maturação: média-tardia.

Vigor: bom.

Fertilidade real: 1.50 Produção: elevada.

Peso cacho: 400-500 g.

Peso bago: 7-9 g.

Sementes: 3,1 por bago.

Teor de açúcar: 13-14%.

Acidez total: 5%.

PH: 3.35.

Resistência ao transporte: elevada.

Formação e poda: adapta-se a diversas tipologias, sempre que sejam expandidas, preferindo

a parreira, a pérgula, a espaldeira ou o cordão.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao oídio e escoriose, sensibilidade normal

a outras doenças e parasitas. Apresenta fenómenos de incompatibilidade com Kober 5BB.

Avaliação qualitativa: boa resistência ao transporte e resistência aceitável à conservação. É

aceite em mercados nacionais e estrangeiros pela sua cor uniforme, polpa crocante e cacho

de dimensões reduzidas. A presença dum número elevado de sementes não permite uma avaliação

mais elevada por parte do consumidor.

Clones em multiplicação: Alfonso Lavallée Inra-Entav 31.

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

NAPOLEÓN (DON MARIANO)

Cepa de origem espanhola, apresenta época de abrolhamento na primeira semana de Abril e

maturação na terceira semana de Outubro. O cacho é grande (900-1000 gramas), piramidal, por

vezes alado, ligeiramente compacto, pedúnculo de longitude média. Bago grande, uniforme,

ovóide com polpa semi-crocante de sabor neutro, película com muita pruína, discretamente

espessa, umbigo visível cor-de-rosa/lilás

AUTUMN ROYAL

Casta sem sementes obtida por D. Ramming e R. Tarailo em USDA-ARS, Fresno, Califórnia, mediante

o cruzamento de Autumn Black e C74-1. Apresenta época de abrolhamento médio-tardia

e maturação tardia. O cacho é grande, cilindro-cónico, de compacidade média; bagos ovóides-elipsoidais,

grandes, de cor azul-violeta, com película ligeiramente espessa e polpa translúcida,

crocante, de sabor neutro. Adapta-se a várias formas, tanto à parreira como ao cordão esporonado.

Com poda longa, a produção é alta mas os cachos e os bagos são mais pequenos. Sensível

à rutura dos bagos em condições de alta humidade e à separação depois da colheita pelo qual

apresenta média-baixa resistência ao transporte. Para reduzir problemas de variabilidades

estacionais na produção e dimensões de cacho e do bago, pode ser necessária a eliminação e

poda de cachos ou pequenas aplicações de ácidos giberélicos em floração. Interessante pela

sua excelente duração na planta depois da maturação.

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

PANNONIA KINCSE

Casta cultivada na Hungria desde o ano de 1942, é um cruzamento entre Rainha-das-vinhas

x Cegléd Szépe, também designada por Pannonia Gold. O abrolhamento é precoce e a maturação

é média-precoce (em meados de Agosto). Apresenta cacho grande, bago grande de cor

verde-amarelenta, polpa dura, sem cor, de sabor neutro com sementes.

BARESANA

Casta de uva branca difundida na província de Bari. Apresenta abrolhamento médio e madura

160 dias depois. O cacho é médio-grande com um peso de 400 g com bago grande, ovóide e película

não muito resistente; suporta bem o transporte; polpa consistente e de sabor neutro. É

uma cepa vigorosa que prefere formas expandidas e podas longas; origina produções médias.

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

PANSE PRECOCE

Cepa difundida no sul de Itália com maturação precoce cerca de 120 dias depois do abrolhamento.

Apresenta cacho de dimensões médias de cerca de 480 gramas, com bagos grandes e

ovais com um peso de 5 gramas; polpa semi-crocante de sabor neutro; película média e, portanto,

bastante resistente ao transporte. Adapta-se a formas como a parreira e espaldeira com

produções médias.

BLACK MAGIC

Trata-se de uma casta obtida na Moldávia pelo Instituto de Viticultura de Chisinau e gerida exclusivamente

pela Vivai Cooperativi Rauscedo como os únicos titulares de licença.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido de cor verde pálida, tendente a

cor-de-rosa. Folha média-grande, pentagonal, pentalobulada, seios laterais superiores fechados,

seios inferiores em lira. Seio peciolar aberto; página superior de cor verde intensa, página

inferior glabra de cor verde média. Pedúnculo de grossura média bastante longo, de cor verde

com fortes tons bordô até ao inicio das nervuras. Cacho médio-grande, de forma cónico-piramidal,

por vezes alado, solto com pedúnculo grande, médio-longo, herbáceo e semi-lenhoso.

Bago médio-grande de forma ovóide; casca azul-preta e sabor neutro.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: precoce.

Época de maturação: precoce.

Vigor: médio.

Fertilidade real: 1,19.

Produção: boa.

Peso cacho: 400-500 g.

Peso bago: 5-6 g.

Sementes: 2-3 por bago.

Teor de açúcar: 17,4%.

Acidez total: 5.2‰.

PH: 3.60.

Resistência ao transporte: baixa.

Formação e poda: cepa de vigor médio e boa fertilidade basal, pelo que pode ser formada em

parreira e cordão esporonado.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao desavinho e o desenvolvimento anómalo

do cacho, sobretudo, em primaveras frias ou chuvosas e solos demasiado férteis. Ótima resistência

à peronóspora, botrytis e oídio.

Avaliação qualitativa: ótima casta relativamente à precocidade, caraterísticas organolépticas

e aspecto estético. Interessante para as produções destinadas a mercados nacionais. Os

aspectos negativos referem-se à fácil separação da ráquis dos bagos e, portanto, à baixa resistência

ao transporte.

Clones de próxima apresentação para homologação: Black Magic VCR 135, VCR 136, VCR 137,

VCR 377.

 

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

PIZZUTELLO BRANCO

É uma antiga casta difundida em Espanha e França. Matura na 3ª época. Apresenta cacho

médio-grande, cilíndrico-cónico ou piramidal bastante solto com um peso de 300-400g. Bago

médio-grande com um peso de 5-6 g, de forma alongada ligeiramente arqueada; película com

muita pruína, fina; polpa crocante. Conserva-se bem na planta e apresenta boa resistência ao

transporte.

CARDINAL

Obtida no ano de 1939 por E. Snyder e F. Harmon nos Estados Unidos, na estação Horticoltural

Field Station de Fresno, Califórnia, mediante o cruzamento de Regina Vigneti e Alphonse Lavallée.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido, glabro e de cor verde-amarelenta,

folhas apicais desdobradas, verdes com tons castanhos, translúcidas. Folha média, pentagonal

e alongada, tripentalobulada, margem lisa, ondulada e glabra. Seio peciolar com base em U.

Página inferior glabra. Cacho bastante grande, cilíndrico-cónico, alongado, solto e, por vezes, alado.

Bago médio-grande, redonda ou sub-redonda; película ligeiramente espessa, com pruína de

cor vermelha-purpúrea não muito uniforme; polpa crocante, doce, agradável e de sabor neutro.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média-precoce.

Época de maturação: média-precoce.

Vigor: bom.

Fertilidade real: 1,5.

Produção: média-elevada.

Peso cacho: 500-600 g.

Peso bago: 7-9 g.

Sementes: 2-3 por bago.

Teor de açúcar: 15-16%.

Acidez total: 5.6‰.

PH: 3.40.

Resistência ao transporte: aceitável.

Formação e poda: adapta-se tanto à parreira, como ao cordão esporonado. É necessário realizar

podas verdes adequadas, eliminar garfos e desfolhar para obter uma cor mais uniforme.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao míldio e escoriose.

Avaliação qualitativa: as suas boas caraterísticas tornam-na numa das melhores uvas pretas.

Baixa resistência ao transporte; é recolhida imediatamente depois da maturação. Devem evitar-

se regas excessivas, para não romper os bagos.

Clones em multiplicação: Cardinal ISV-VCR 24, ISV-VCR 26. Os clones foram selecionados

em colaboração com o Instituto Experimental para a Viticultura de Conegliano Veneto (TV). O

Cardinal ISV-VCR 24 apresenta uma ligeira antecipação na maturação e um grau de açúcares

ligeiramente superior à média, enquanto o Cardinal ISV-VCR 26 se situa na média populacional.

Outros clones em multiplicação: Inra-Entav 80

 

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

PRIMA

Cepa obtida pelo INRA no ano de 1974 em França, mediante cruzamento entre Lival e Cardinal.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice aberto e folhas verdes com média densidade

dos pêlos prostrados. Folha orbicular ou cuneiforme de 5 ou 7 lóbulos com seios laterais

profundos e seio peciolar com base em U, frequentemente limitado pelas nervuras. As nervuras

apresentam uma pigmentação vermelha média. A página inferior apresenta ligeira vilosidade.

O cacho é médio, semi-solto. Os bagos são médios, com cor uniforme e intensa. A película é espessa

e a polpa é ligeiramente crocante.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de maturação: média-tardia.

Época de maturação: precoce.

Vigor: médio.

Fertilidade real: 1.1.

Produção: boa e regular.

Peso cacho: 300-400 g.

Peso bago: 5-6 g.

Sementes: 2 por bago.

Teor açúcar: 14-15%.

Acidez total: 4.5‰.

PH: 3.4.

Resistência ao transporte: boa.

Formação e poda: casta com porte semi-ereto, que exige podas curtas ou ligeiramente longas.

Requerem-se operações de poda verde, desfolhação e eliminação de netos.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao desavinho e o desenvolvimento anormal

do cacho, especialmente considerável durante primaveras frias e chuvosas. Pouco sensível

à botrytis.

Avaliação qualitativa: casta interessante pela sua precocidade, produtividade, aspeto solto e

a coloração uniforme do cacho.

CRIMSON SEEDLESS

Casta obtida em USDA-FRESNO na Califórnia, mediante cruzamento entre Emperor com C33-199.

Caraterísticas ampelográficas: ápice de cor verde com margens castanhas ou cor-de-rosa,

glabra. Folha média, heptalobulada, glabra de cor verde clara brilhante. Seio peciolar em lira

fechada com margens superpostas. Página inferior glabra. Cacho médio, piramidal com bagos

bem separados. Bago médio-pequeno, oval, ligeiramente resistente de cor vermelha purpúrea

com polpa crocante e sabor neutro.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média.

Época de maturação: tardia.

Vigor: elevado.

Fertilidade real: 0.96.

Produção: limitada.

Peso cacho: 400-500 g.

Peso bago: 4-5 g.

Sementes: ausentes.

Teor açúcar: 17.5%.

Acidez total: 6.10‰.

PH: 3.5.

Resistência ao transporte: elevada.

Formação e poda: cepa muito vigorosa; requer formas expandidas e podas longas; ótima para

os ambientes quentes. Requer desfolhação para uma melhor iluminação e, assim, uma melhor

coloração dos cachos que, por vezes, é deficiente.

Sensibilidade às doenças e adversidades: dentro da norma.

Avaliação complexa: cacho com aspeto completamente apireno. Encontra as melhores condições

de cultivo em solos pobres. As incisões anulares permitem obter um importante incremento

do peso dos bagos e um índice de separação mais elevado, mas ao mesmo tempo provocam

um atraso da maturação. Recomenda-se recolher em diferentes épocas para obter uma cor

mais uniforme.

 

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

RAINHA-DAS-VINHAS (REGINA VIGNETI)

Casta difundida em Itália, França e, em menor medida, noutros países do Mediterrâneo. Matura

na I época cerca de 110/120 dias depois do abrolhamento. O cacho é médio-grande com um peso

de cerca de 537 gramas com bagos grandes, ovóides de sabor a moscatel; película resistente

e, portanto, bastante adequada para o transporte.

DANUTA

Casta de uva de mesa sem sementes obtida no ano de 1964 pelo INRA, mediante o cruzamento

de Dattier de Beyrouth e a Sultana Moscata.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice com pouca vilosidade com folhas jovens bronzeadas.

Folha adulta orbicular de cinco ou sete lóbulos e seio peciolar pouco aberto com base

em U, espesso delimitado por nervuras. As nervuras apresentam uma fraca pigmentação vermelha.

A página inferior é glabra ou quase glabra. O cacho é grande, semi-solto e piramidal. As

bagos são apirenos de dimensões médias e com película pouco espessa e polpa de sabor simples.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: precoce.

Época de maturação: média.

Vigor: médio.

Fertilidade real: boa.

Produção: boa.

Peso cacho: 610 g.

Peso bago: 3,5 g por vezes.

Sementes: ausentes ou resíduos herbáceos das sementes.

Teor açúcar: 16,5%.

Acidez total: 4.5‰.

PH: 3.20.

Resistência ao transporte: média.

Formação e poda: para melhorar o aspeto qualitativo é necessário realizar podas verdes, limpezas

dos cachos e eliminação de netos. O uso de incisão anular e a aplicação de ácidos giberélicos

podem melhorar as dimensões dos bagos e, portanto, a apresentação.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao desavinho e à ruptura dos bagos.

Avaliação qualitativa: é uma casta interessante pela ausência total de sementes e a sua boa

resistência ao transporte.

 

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

REGAL SEEDLESS

Casta sem sementes obtida por ARC na África do Sul, mediante o cruzamento de Datal e Centennial

Seedless. Apresenta época de abrolhamento tardia e maturação média-precoce (7-10 dias antes

do que a Sultanina). O cacho é médio-grande, cilindro-cónico, com uma ou mais alas, semi-compacto.

O bago é elipsoidal, de grandes dimensões, com película verde-amarelada, espessa e

polpa crocante, de sabor neutro. Casta de vigor e fertilidade muito elevada; adapta-se a várias

formas, como a parreira (2,5m x 2,5m), a lira, o cordão esporonado ou com poda mista (esporonado

e garfo) e o duplo guyot (3m x 1,55m). É interessante pelas grandes dimensões dos bagos

e a produção elevada. Não requer tratamentos para aumentar o tamanho do bago. Interessante

pela sua excelente duração na planta depois da maturação. A resistência ao transporte é boa.

ITÁLIA

No início foi apreciada e teria sido eliminada caso não se tivesse atrasado o seu completo abandono.

De fato, depois de ter sido descoberto o seu comportamento em diversos ambientes, foi

fácil apreciar as indiscutíveis qualidades da cepa, que produz a uva preferida pelos consumidores

de todo o mundo. Em França é conhecida com o nome de Ideal.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido, cotanilhoso, verde-esbranquiçado

com tons cor-de-rosa/purpúreos. Folha bastante grande, pentalobulada, pentagonal, margem de

cor verde escura. Ligeiramente ondulada, lisa, glabra com um leve tomento na página inferior. Seio

peciolar com base em U ou V fechado ou pouco aberto. Cacho grande, cónico-piramidal, alado com

uma ou duas alas, solto. Bago grande, ovóide; casca com muita pruína bastante espessa e consistente

numa bela cor amarela dourada; polpa crocante e sucosa com um ligeiro e delicado aroma a moscatel.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média-precoce.

Época de maturação: média-tardia.

Vigor: elevado.

Fertilidade real: 1.20.

Produção: elevada.

Peso cacho: 700-800 g.

Peso bago: 8-10 g

Sementes: 1-2 por bago.

Teor de açúcar: 15-16%.

Acidez total: 4-5%.

PH: 3.50.

Resistência ao transporte: ótima.

Formação e poda: os melhores resultados quantitativos e qualitativos são obtidos mediante

formação em parreira. A gestão em verde deve ser muito prudente e realiza-se adequadamente

com podas, eliminação de netos e desfolhação.

Sensibilidade às doenças e adversidades: dentro da norma; sensível à doença do lenho rugoso.

Apresenta fenómenos de incompatibilidade com 140Ru.

Resistência ao transporte: ótima.

Avaliação qualitativa: trata-se de uma cepa que adotou muitos elementos da sua progenitora “mãe”

Bicane, muito vigorosa com cachos grandes e de belo aspeto, no entanto, tem poucos caracteres

do seu “pai” Moscatel Hamburgo, para além do aroma a Moscatel. Muito adequada para transportes

de longa distância e muito apreciada por todos, pelo que se tornou a rainha dos mercados.

Clones em multiplicação: Itália VCR 5: clone de elevada produtividade de cacho grande, piramidal,

semi-compacto, pelo qual é menos sensível à botrytis. Itália VCR 10: clone produtivo,

de bom vigor; cacho médio, menos compacto que a média varietal; ligeiramente mais precoce.

Outros clones em multiplicação: Inra-Entav 307, 918.

 

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

ROSETI (DATTIER DE B.)

É uma das cepas mais antigas e difundidas entre as uvas de mesa, pelo que foi designada com

muitos sinónimos. Conhecida como Dattier de Beyrouth em França, Afouz Ali ou Bolgar na Bulgária,

Aleppo na Roménia, Rasaki nas Ilhas do Egeu. Em Itália conhece-se geralmente como Regina, mas

também Pergolone (Abruzzo), Inzolia Imperiale (Sicília), Menavacca (Puglia, Calábria e Campánia).

A sua origem é possivelmente oriental, talvez síria, embora não se saiba quando chegou à Europa,

provavelmente na antiguidade, antes da era Cristã. Poucas cepas podem orgulhar-se de uma antiguidade

de cultivo semelhante e áreas de difusão tão estendidas, identificada em quase todos

os países produtores de vinho do Mediterrâneo.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido-globoso, verde com margens

bronzeadas-rosadas. Folhas apicais um pouco dobradas de cor verde-dourada translúcida

com tons bronzeados-rosados e glabra. Folha média, pentagonal, tripentalobulada com seio

peciolar com base em U, margem ondulada, quase lisa, glabra de cor verde clara. Cacho grande,

longo, piramidal ou cilíndrico, solto, alado com uma ou dos alas. Bago grande de forma elíptica;

película com muita pruína, ligeiramente espessa de cor amarela dourada; polpa crocante,

doce de sabor neutro.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: tardia.

Época de maturação: tardia.

Vigor: bom.

Fertilidade real: 1.10.

Produção: boa.

Peso cacho: 600-700 g.

Peso bago: 7-9 g.

Sementes: 2 por bago.

Teor de açúcar: 15-16%.

Acidez total: 5‰.

PH: 3.32.

Resistência ao transporte: elevada.

Formação e poda: exige formas expandidas e podas longas.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao míldio, oídio e escoriose. Avaliação qualitativa:

ótima pelo seu sabor e aceite por um grande grupo de consumidores; boa resistência

ao transporte e à vida útil na planta.

Clones em multiplicação: Regina ISV 6, ISV 9: referem-se ao biótipo Inzolia ou Pizzutella, caraterizado

por bagos cilíndricos alongados.

Outros clones em multiplicação: Inra-Entav 304, 966.

LATTUARIO NEGRO (REGINA NEGRA)

Casta de uva preta cultivada quase exclusivamente no sul de Itália. Apresenta abrolhamento

médio-tardio e matura 150 dias depois. O cacho é médio com um peso de cerca de 300 gramas,

com bago grande, oval e película espessa e resistente, pelo qual suporta bem o transporte. A

polpa é crocante e de sabor neutro. É uma cepa vigorosa que prefere formas expandidas tipo

espaldeira e parreira com produções elevadas.

 

Fonte : VIVAI COOPERATIVI RAUSCEDO  

Catálogo

SUBLIMA SEEDLESS

Cepa introduzida na Europa pela Vivai Cooperativi Rauscedo. Exclusiva da Vivai Cooperativi Rauscedo.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de cor verde, ligeiramente cotanilhoso. Folha

média-grande, pentagonal, heptalobulada-pentalobulada, lóbulos ligeiramente superpostos,

página superior de cor verde média, glabra; superfície inferior de cor verde clara, glabra. Cacho

médio-grande, piramidal, ligeiramente solto. Bago médio-grande, apireno, tronco ovóide de cor

verde-amarelelada com película fina; polpa sucosa ligeiramente crocante e de sabor neutro.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: precoce.

Época de maturação: média.

Vigor: bom.

Fertilidade real: 0.8.

Produção: elevada.

Peso cacho: 700-900 g.

Peso bago: 5-5.5 g.

Sementes: ausentes.

Teor de açúcar: 4,2%.

Acidez total: 4.2‰.

PH: 3.6.

Resistência ao transporte: boa.

Formação e poda: requer formas expandidas e podas médias-longas. Devem realizar-se múltiplas

limpezas de cachos com a redução da parte terminal.

Sensibilidade às doenças e adversidades: dentro da norma.

Avaliação qualitativa: cepa muito interessante para o consumo em estado fresco tanto pela

sua precocidade, como por outras caraterísticas produtivas.

MATILDE

Obtida pelo Prof. Manzo no ano de 1962 no Instituto Experimental para a Fruticultura de Roma,

mediante cruzamento entre Itália x Cardinal.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido, verde, glabro, folhas apicais,

desdobradas de cor verde forte com tons bronzeados. Folha média, pentagonal, alongada com

lóbulos visíveis margem lisa, um pouco ondulada, glabra. Seio peciolar em lira aberta. Cacho

médio-grande, cilíndrico-cónico, frequentemente alongado, alado e solto. Bago bastante grande,

ovóide; polpa dura de sabor ligeiramente aromático; casca relativamente subtil, resistente,

de cor amarela.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média-precoce.

Época de maturação: média.

Vigor: bom.

Fertilidade real: 1.80.

Produção: média-elevada.

Peso cacho: 600-800 g.

Peso bago: 6-7 g.

Sementes: 2 por bago.

Teor açúcar: 14-15%.

Acidez total: 4-5‰.

PH: 3.40.

Resistência ao transporte: ótima.

Formação e poda: prefere formas expandidas e podas médias.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensibilidade normal às doenças; durante primaveras

frias e húmidas e em solos férteis pode sofrer o desavinho e queda da flor. Avaliação

qualitativa: ótima pela sua precocidade, pelo aspeto do cacho e pelo fino aroma a moscatel.

Clones em multiplicação: Matilde VCR 15: clone selecionado pela sua elevada fertilidade, a

ausência do desavinho e a sua ótima produtividade. A película consistente e o alto índice de separação

aumentam a sua resistência ao transporte e a conservação no frigorífico.

SULTANINA

Casta muito antiga originária da Ásia Menor. É a casta apirena mais difundida no mundo e utilizada

tanto para o consumo fresco, como para uva passa; também conhecida com o nome de

Thompson Seedless.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice aberto, verde, glabro, folhas apicais abertas,

verdes e glabros. Folha de dimensões médias, pentagonal, verde, glabra com seio peciolar

com lóbulos superpostos. Cacho médio-grande, piramidal, ligeiramente compacto. Bago pequeno,

uniforme, ovóide com película fina, mas resistente e polpa crocante.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média.

Época de maturação: média-tardia.

Vigor: muito elevado.

Fertilidade real: 0.8.

Produção: elevada.

Peso cacho: 400 g.

Peso bago: 3 g.

Sementes: ausentes.

Teor açúcar: 16%.

Acidez total: 3.2‰.

PH: 3.65.

Resistência ao transporte: média.

Formação e poda: requer formas expandidas com uma elevada carga de garfos. Precisa de

operações de poda verde, desfolhação e eliminação de netos. A incisão anular e o uso do ácido

giberélico permitem obter um peso médio do bago de cerca de 6 g.

Sensibilidade às doenças e adversidades: sensível ao desavinho, sobretudo, em climas temperados

e terrenos férteis. Manifesta incompatibilidade com 140Ru e SO4.

Avaliação qualitativa: casta interessante pela ausência de sementes e a resposta a tratamentos

com ácido giberélico e incisões anulares. Resistência ao transporte, aspeto estético e

caraterísticas organolépticas ótimas.

Clones em multiplicação: Sultanina VCR 122: selecionado em Creta, apresenta vigor e produtividade

superiores à média; o cacho entre superior e médio, piramidal, dotado de asas médias,

ligeiramente semi-solto; Bago médio, com película consistente de cor amarela. Índices de separação

e espalmamento bons-ótimos; bom grau de açúcar e teor total de ácido. As maiores

dimensões do bago e o ótimo índice de separação fazem que este clone seja particularmente

adequado para o consumo fresco.

Outros clones em multiplicação: Inra-Entav 919.

MICHELE PALIERI

Obtido por M. Palieri em Velletri, mediante cruzamento entre Alfonso Lavallée x Red Málaga.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido, glabro e de cor verde intensa,

folhas apicais um pouco dobradas, verdes com tons bronzeados, translúcidos. Folha grande,

pentalobulada-arredondada, margem lisa, plana e glabra. Seio peciolar com base em U com

margens sobrepostas. Página inferior ligeiramente glabra. Cacho grande, cilíndrico-piramidal,

alado, bastante solto. Bago grande, oval e ovóide, ligeiramente resistente; película com muita

pruína de cor preta purpúrea; polpa dura de sabor doce, neutra.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média-tardia.

Época de maturação: média-tardia.

Vigor: elevado.

Fertilidade real: 1.00.

Produção: média-elevada.

Peso cacho: 600-800 g.

Peso bago: 9-10 g.

Sementes: 2 por bago.

Teor açúcar: 14-15%.

Acidez total: 6‰.

PH: 3.5.

Resistência ao transporte: elevada.

Formação e poda: exige formas expandidas tipo parreira, pérgula ou lira. São indispensáveis

e prudentes operações em verde mediante poda, desfolhação e eliminação de netos para uniformar

a coloração do cacho e formar a acumulação de açúcar.

Sensibilidade às doenças e adversidades: dentro da norma. Apresenta uma evidente incompatibilidade

com os porta-enxertos 140Ru, 779 P e Kober 5 BB.

Avaliação qualitativa: cacho de bom aspeto, especialmente pela sua cor preta purpúrea; encontrou

um bom acolhimento nos mercados. Suporta bem o transporte.

Clones de próxima apresentação para homologação: Michele Palieri VCR 453

SUPERNOVA SEEDLESS

Cepa criada pelo Instituto de Viticultura de Chisinau na Moldávia, cruzando Pbeda com Kishmish

Rosa, e introduzida na Europa pela Vivai Cooperativi Rauscedo como únicos titulares de licença.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice aberto, cor verde pálida e margens avermelhadas.

Folha média-grande, pentagonal, pentalobulada, seios laterais superiores e inferiores

com lóbulos ligeiramente superpostos; seio peciolar muito aberto ou aberto. Página superior

glabra de cor verde-média a verde clara; página inferior glabra de cor verde clara. Cacho grande,

cónico, longo, frequentemente alado. Bago apireno, médio-grande, de forma ovóide ou alongada-

ovóide e cor vermelha-rosada.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média.

Época de maturação: precoce.

Vigor: bom.

Fertilidade real: 1,5.

Produção: média-elevada.

Peso cacho: 500 g.

Peso bago: 5 g.

Sementes: ausentes.

Teor açúcar: 15%.

Acidez total: 5‰.

PH: 3.7.

Resistência ao transporte: escassa.

Formação e poda: cepa vigorosa com porte ereto; prefere formas expandidas tipo parreira, pérgula

ou lira. Requerem-se operações de poda verde e eliminação de netos.

Sensibilidade às doenças e adversidades: casta com boa resistência ao míldio. Sensível às

carências de fósforo.

Avaliação qualitativa: casta de uva de mesa apirena muito interessante para o consumo em

estado fresco. Possui gosto aromático delicadamente intenso. Apresenta um baixo índice de

separação sendo fácil de esbagoar. As intervenções com ácido giberélico para conseguir uma

maior consistência do pedicelo permitiram obter resultados positivos.

MOLDOVA

Cepa interespecífica obtida por Yoravely no Instituto de Viticultura de Chisinau, Moldávia, mediante

o cruzamento entre Seyve-Villard 12-375 e Guylj Kara. É gerida exclusivamente pela Vivai

Cooperativi Rauscedo como únicos titulares de licença.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice verde pálido. Folha de dimensões médias,

seio peciolar com base em U. Página superior não muito lisa, quase glabra, verde; página

inferior aracnóide. Cacho médio-grande, de forma cónico-piramidal, por vezes alado. Bago médio-

grande ovóide, alongado de cor purpúrea escura uniforme; polpa crocante de sabor neutro.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média-tardia.

Época de maturação: média-tardia.

Vigor: elevado.

Fertilidade real: 1.2.

Produção: elevada e constante.

Peso cacho: 400-500 g.

Peso bago: 5-6 g.

Sementes: 1-2 por bago.

Teor açúcar.

Acidez total: 9‰.

PH: 3.79.

Resistência ao transporte: elevada.

Formação e poda: adapta-se a várias formas de poda, preferindo as formas expandidas.

Sensibilidade às doenças e adversidades: ótima resistência ao míldio, oídio e botrytis. Resiste

o frio do Inverno.

Avaliação qualitativa: casta interessante pela sua resistência ao míldio, a sua elevada resistência

ao transporte e as caraterísticas estéticas e organolépticas do produto.

VICTORIA

Cruzamento conseguido na Roménia pelo Instituto de Investigações Hortícolas de Dragasani a partir

de Lepodatu Victoria e Condei Gheorghe. A sua origem genética é o Cardinal x Afuz Ali (Regina).

Difundida primeiro na Roménia e posteriormente na Grécia, onde encontrou uma grande difusão

entre os viticultores, sobretudo, nas zonas de Kavala e Calcidica.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de ápice expandido, verde e quase glabro. Folha

grande, pentagonal com 5 lóbulos, seio peciolar aberto com base em U, de cor verde e página

inferior quase glabra. Cacho grande, piramidal, ligeiramente compacto e de aspeto agradável.

Bago grande, cilíndrico-elíptico de cor verde-amarela e sabor neutro; película com pouca pruína

e ligeiramente espessa com coloração uniforme; polpa crocante com duas sementes.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média.

Época de maturação: média-precoce.

Vigor: elevado.

Fertilidade real: 1.2.

Produção: elevada.

Peso cacho: 600-700 g.

Peso bago: 10-12 g.

Sementes: 2 por bago.

Teor açúcar: 16-17%.

Acidez total: 4-5‰.

PH: 3.5.

Resistência ao transporte: elevada.

Formação e poda: adapta-se a formas reduzidas e expandidas, pelo qual podem utilizar-se

sistemas de parreira e espaldeira. Requer realizar podas em verde, eliminação de netos e desfolhado,

embora em menor medida que noutras castas.

Sensibilidade às doenças e adversidades: dentro da norma. Manifesta incompatibilidade

com Kober 5 BB.

Avaliação qualitativa: cepa interessante tanto pela sua precocidade e ótimas caraterísticas

do cacho, como pela sua produtividade constante. Na seleção realizada pela Vivai Cooperativi

Rauscedo em colaboração com a Sociedade Vitrohellas (Grécia), destacou-se pela sua uniformidade

e controlo sanitário; trata-se dum cultivo muito adequado para todos os produtores de

uva de mesa.

Clones de próxima apresentação para homologação: Victoria VCR 449, VCR 450

MOSCATEL HAMBURGO

Cepa de origem desconhecida, provavelmente derivada dum cruzamento entre Moscatel de

Alexandria x Frankenthal N, difundida na Grécia, Itália, França e nos países de Leste da Europa.

Caraterísticas ampelográficas: pâmpano de uma elevada densidade de pêlos prostrados. Folha

trilobulada ou pentalobulada com seio peciolar aberto e dentes médios-grandes. Não apresenta

pigmentação antociânica nas nervuras. A página inferior apresenta uma baixa densidade dos

pelos eretos e prostrados. Cacho médio. Bago de forma elíptica e sabor delicadamente a moscatel

com película fina.

Caraterísticas fenológicas e agronómicas:

Época de abrolhamento: média-precoce.

Época de maturação: média.

Vigor: médio-elevado.

Fertilidade real: 0.9.

Produção: boa.

Peso cacho: 300-400 g.

Peso bago: 5-6 g.

Sementes: 1.4 por bago.

Teor açúcar: 16-18%.

Acidez total: 5.50‰.

PH: 3.40.

Resistência ao transporte: aceitável.

Formação e poda: cepa de porte semi-rastejante, pelo qual se deve prestar uma especial atenção

nas podas e podas verdes. Prefere solos ligeiramente férteis e formas em espaldeira ou pérgula.

Sensibilidade às doenças e as adversidades: sensível ao oídio e o míldio. Por outro lado, é pouco

sensível à botrytis. Apresenta fenómenos de incompatibilidade com Kober 5BB.

Avaliação qualitativa: casta de dupla aptidão, pode ser utilizada para uva de mesa e para vinhos

espumantes ou sumos. Apresenta um nível baixo de açúcar e a sua cor não é muito rica.

Devido à sua película fina, tolera com dificuldade os transportes longos.

Clones em multiplicação: Inra-Entav 202

Clones de próxima apresentação para homologação: Moscatel Hamburgo VCR 492, VCR 493,

VCR 494, VCR 495.